LIVROS

Presos ao atavismo, secular, das facções, das coisas, do imediato, os portugueses continuam a ignorar a valia dos mestres que, não lhes apontando o caminho, antes lhes balizam os escolhos e os remetem para a sua procura, feição única de o encontrar.

António Quadros, que pronunciou as sábias palavras na homenagem a Fernando Pessoa, em Bruxelas, em Junho de 1989, altura em que o conhecemos (e em que se inaugurou, nesta cidade, um monumento ao poeta, da autoria de Irene Vilar), insere-se nesse corpo docente atraiçoado pelo olvido geral, mas ainda alentado pelo siso de alguns que, persistente e inteligentemente, o trazem à superfície, cônscios da sua valia e necessidade no momento actual.Empresa cultural antes de mais, a Orfeu, orgulha-se de editar este conto e estas seis aventuras visuais, em estreita colaboração com o IADE, fundado pelo Mestre, e com o apoio da Fundação António Quadros, a que empenhadamente pertencemos.



Joaquim Pinto da Silva

O Pesadelo

de António Quadros

e seis aventuras visuais a partir deste conto

de Armando Vilas-Boas

Pesadelo, António Quadros editado pela Orfeu

Apresentação do Livro em Cascais no passado dia 26 de Março de 2013